webmail
CCAMP • Coleção de Campylobacter

Histórico

A Coleção de Campylobacter (CCAMP) foi reconhecida pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC) no ano de 2001, porém teve seu início nos primeiros anos da década de 90, quando se verificou que a existência de um acervo de isolados brasileiros seria de suma importância para a comunidade científica nacional e internacional.

Outro dado relevante que contribuiu para dar início à CCAMP foi o fato da maioria dos laboratórios clínicos ou mesmo de pesquisa do Brasil não incluírem estes microrganismos nos exames de rotina e linhas de pesquisa, pois Campylobacter spp. era negligenciado como patógeno e sua presença pouco documentada, o que ainda pode ser observado nos dias atuais.

As coleções de culturas bacterianas podem ser consideradas excelentes fontes de bactérias para bioprospecção de insumos de interesse biotecnológico, por constituírem bibliotecas genômicas que podem ser comparadas futuramente.

Assim, iniciamos a CCAMP acreditando que um acervo contendo linhagens circulantes em território nacional, caracterizadas feno-genotipicamente, poderá contribuir para o conhecimento da ecologia e epidemiologia das espécies do gênero Campylobacter, possivelmente revelando variações sutis em relação à amostragem dos países industrializados, oferecendo subsídios para o desenvolvimento tecnológico e, principalmente, visando o controle e a prevenção da campilobacteriose no país.

O acervo da CCAMP cresce de modo contínuo, em decorrência dos isolamentos de linhagens deste gênero bacteriano a partir dos projetos de pesquisa desenvolvidos no Setor de Campylobacter do Laboratório de Zoonoses Bacterianas, assim como de projetos de colaboração em níveis nacional e internacional.



© 2018 Coleção de Campylobacter, Instituto Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz